Teorias administrativas

As organizações buscaram um alto grau de especialização para as áreas funcionais típicas de estruturas organizacionais nas últimas décadas, motivadas principalmente pela qualidade total, todavia esse grau de especialização entre departamentos não atuava diretamente na maximização da organização como um todo, maximizava atividades individuais e que por consequência o cliente final perdia o foco devido a falta de interação e comunicação entre as áreas.

A busca por soluções eficazes forçou as organizações a rever suas estruturas e formas de gestão onde os agrupamentos de áreas funcionais perderam forças e o foco no cliente passou a ser o principal objetivo provocando a alteração de atividades em torno de áreas funcionais para processos de negócios da organização.

O foco em processos de negócios data de duas décadas a partir da reengenharia de processos e evoluiu até os dias atuais com as propostas de projetos para redesenho dos processos de negócio, denominados business process design (BPD), tais propostas tem como base o alinhamento das organizações aos processos de negócio diferenciando-as nas variáveis de objetivo do negócio e velocidade. Outros movimentos administrativos evidenciados neste período que tem como objetivo principal o direcionamento para estruturas organizacionais voltadas para processos, são o customer relationship management (CRM), a gestão da cadeia de fornecedores ou supply chain management (SCM) e o desenvolvimento colaborativo de produtos ou product lifecycle management (PIM). Estas diversas ferramentas e conceitos empresariais adotados pelas organizações proporcionaram diversos resultados positivos.

(SORDI, 2008, p.21) afirma que “a introdução de processos de negócios trouxe um novo desafio à administração: como administrar organizações orientadas por processos de negócios?” A resposta a esse questionamento segundo o autor proporcionou o desenvolvimento da gestão por processos (business process management ou BPM).

Há tempos a administração tem sido motivo de estudo e pesquisa nos meios organizacionais. Já no final do século XIX, surgiram os primeiros teóricos da administração e com o decorrer dos tempos, diversas abordagens foram surgindo como forma de buscar maior eficiência e produtividade nas organizações. (ARAÚJO, 2001, p.19), cita que:

Para alguns teóricos, qualquer estudo tem que levar em consideração o fato de que as organizações diferem umas das outras. Estrutura, pessoas e funcionamento diferem mesmo que as organizações em estudo produzam o mesmo produto ou prestem o mesmo serviço, tenham uma quantidade semelhante de recursos humanos e atuem num mesmo ambiente geográfico. As pessoas, a tecnologia e as situações são o pano de fundo da organização.

Ainda segundo o autor, as variáveis acima apresentadas “foram objeto de abordagens que procuraram solucionar as questões organizacionais.

A primeira abordagem das teorias da administração surgiu no início do século XX, com a chamada escola clássica, representada por diversos autores, dentre eles Taylor e Fayol. Em seguida, verificando-se ao longo dos anos que esta teoria não supria as necessidades que emergiam dentro das organizações, outras teorias administrativas surgiram como, a escola de relações humanas, a abordagem estruturalista, dentre outras.

No próximo texto será apresentada a escola clássica de administração.

Posted in Sem categoria and tagged Administração, clássica, Fayol.

Deixe um comentário