O que é Lean manufacturing

O Lean como conhecido é uma maneira de produzir conforme os princípios do sistema Toyota de produção. Sendo assim, toda empresa que adota o pensamento lean como base para sua produção, seja em produtos, serviços ou ambos procura criar o máximo de valor para o cliente com o mínimo custo, que pode ser obtido através da redução de recursos, tempos de processamento, energia e esforço. Uma abordagem enxuta em qualquer empresa é sobre:

  • Entender o que realmente está acontecendo no local onde o valor é criado, ou seja, no genba.(1)
  • Aperfeiçoar os processos pelos quais produtos e serviços são desenvolvidos e entregues.
  • Resolver problemas através da capacitação e desenvolvimento de pessoas.
  • Desenvolver líderes e um sistema de gestão eficaz.

O pensamento e a prática Lean ajudam as organizações a se tornarem inovadoras e competitivas, o que, no que lhe concerne, permite que elas se tornem sustentáveis. Não importa qual seja o trabalho, o setor ou o tamanho da organização. Em uma organização enxuta, os problemas são oportunidades de aprendizado significativo, em vez de erros a serem varridos para debaixo do tapete ou resolvidos rapidamente. Os gestores atuam como multiplicadores do pensamento enxuto, ajudando as pessoas a se sentirem à vontade para identificar problemas e praticar a melhoria contínua diária. O que propomos é apoiar um novo tipo de envolvimento com o trabalho real em mãos, a maneira como o trabalho está sendo feito agora, não a maneira como você e suas equipes esperam trabalhar no futuro. A Furlani procura inspirar pessoas e empresas a adotar os princípios e práticas lean.

Onde o Lean pode ser aplicado?

O Lean pode ser utilizado onde quer que haja melhorias a serem feitas, nesse sentido podemos afirmar que pode ser aplicado em:

  • Escolas;
  • Organizações governamentais;
  • Hospitais;
  • Clínicas;
  • Indústria (que foi onde surgiu);
  • Construção civil;
  • Na agricultura;
  • No setor de transportes e onde mais você imagina, mas principalmente no cotidiano.

O que Lean não é

O Lean não é redução do quadro de funcionários. O lean prega o respeito às pessoas, mantendo seus empregos e sempre abrindo oportunidades em todos os níveis para que a pessoa sinta-se parte do todo e não apenas um colaborador contratado para realizar determinada atividade.

  • O Lean não é conjunto de ferramentas: 5S, Kaizen, mapas de fluxo de valor, gestão visual, métricas, dashboards, A3 e assim por diante.
  • O Lean não é um programa (eficiência, melhoria de processos, gestão de desempenho, redução de custos, Six Sigma, entre outros) feito para as pessoas que fazem o trabalho (portanto, criam valor) pela gerência, pessoas externas ou equipe especializada interna.
  • O Lean não se aplica apenas à fabricação ou operações.
  • O Lean não é treinamento para certificações e rótulos.
  • O Lean não é regimento por trabalho padrão

Princípios Lean

Daniel Jones, James Womack e Daniel Roos após suas pesquisas que resultaram na publicação do livro “A máquina que mudou o mundo” identificaram cinco princípios que ainda orientam as organizações em todos os setores que estão tentando adotar o pensamento enxuto. Esses princípios são:

  1. Definir valor, como percebido pelo cliente;
  2. Entender e mapear todas as etapas do fluxo de valor, eliminando aquelas que não contribuem para a criação de valor.
  3. Garantir que seus produtos, serviços ou ambos fluam em direção ao cliente de maneira suave, sem interrupções, fazendo com que as etapas de criação de valor ocorram em uma sequência sem paradas.
  4. O cliente deve determinar o ritmo de trabalho da empresa, nesse sentido facilita que o cliente extraia valor do próximo processo.
  5. Lute pela perfeição, tentando alcançar uma situação em que o valor seja criado sem desperdício.

A definição, o pensamento e a prática Lean

  • O pensamento e a prática Lean tratam de envolver o desafio de criar mais valor para cada cliente e prosperidade para a sociedade;
  • Demonstrar respeito desenvolvendo pessoas para melhorar continuamente o trabalho por meio da resolução de problemas;
  • Focar e melhorar continuamente o trabalho;
  • Minimizar/eliminar o desperdício – tempo, esforço humano, lesões, estoque, capital, espaço, defeitos, retrabalho, etc.;
  • Perguntar que tipo de comportamento gerencial e sistema de gestão é necessário para melhorar e transformar a organização.

Para melhorar (ou transformar), uma organização deve abordar

  • Objetivo: Que valor para os clientes?
  • Processo: Como melhorar continuamente?
  • Pessoas: Como respeitar, engajar e desenvolver os colaboradores?
  • Alinhar propósito, processo e pessoas tornando a principal tarefa da gestão.

O que é uma Transformação Lean?

A transformação empresarial é o processo para mudar um determinado modelo de negócios com diversos desperdícios para um modelo futuro com o mínimo de desperdícios possíveis, sempre buscando a perfeição. Uma transformação lean requer aprender uma nova maneira de pensar e agir, caracterizada não pela implementação de uma série de etapas ou soluções, mas abordando questões-chave de propósito, processo e pessoas.

A simplicidade que torna o sistema Lean tão difícil

Quando lemos a frase de Taiichi Ohno resumindo o sistema Toyota de produção podemos notar ser algo simples, porém requer muito, mas muito trabalho e dedicação, talvez por isso que muitas empresas abandonam suas jornadas de transformação.

“Tudo o que estamos fazendo é olhar a linha do tempo, desde o momento que o cliente nos entrega um pedido até o ponto em que recebemos o dinheiro. E estamos reduzindo essa linha do tempo removendo os desperdícios que não agregam valor.”

Essa simplicidade aparente é muitas vezes transformada em algo extremamente difícil, pois dentro das organizações existem inúmeras pessoas com suas necessidades e anseios, mas ninguém disse que seria fácil, mesmo porque quem já conduziu uma jornada de transformação sabe muito bem que é algo deliciosamente caótico e desafiador devido as mais diversas variáveis. Mas alguns conselhos podem ser úteis.

  1. Comece caminhando pela empresa;
  2. Pergunte porque algo está sendo feito;
  3. Sempre demonstre respeito a todos que ali estão executando as atividades;
  4. Evite criar rótulos, os rótulos são úteis no local certo, mas não em uma transformação enxuta.
  5. Não tenha medo de errar e;
  6. Aprenda a solucionar problemas com o pensamento científico.

Caso um dia alguém encontre uma resposta para o que é lean, por favor me avise. O lean não pode ser estruturado, não pode haver um framework, pois o lean é melhorar todos os dias buscando um objetivo maior.

Pense lean, seja lean

Referências

LIKER, Jeffey K. O modelo Toyota:14 princípios de gestão do maior fabricante do mundo. Porto Alegre: Bookman, 2022. 

WOMACK, J. P.; JONES, D. T. A Mentalidade enxuta nas empresas: elimine o desperdício e crie riqueza. Rio de Janeiro: Elsevier. 2004

TAIICHI, OHNO. O sistema Toyota de produção. Além da produção em larga escala. 1997

WOMACK, James P.; JONES, Daniel T.; ROOS, Daniel. A Máquina que mudou o mundo: baseado no estudo do Massachusetts Institute of Technology sobre o futuro do automóvel. 7.ed. Rio de Janeiro: Campus, 2004.

1 Termo japonês para “local real”, comumente utilizado o local em que ocorre o trabalho que cria valor. Também pode ser escrito com  “n”: genba.

Posted in Lean thinking and tagged , , , .

Deixe um comentário